img

9 parentes de beira-mar foram nomeados para câmara

/
/
/
36 Views

Uma estratégia até então desconhecida de Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, foi revelada pela Operação Epístolas, da Polícia Federal: a de buscar influência política. As investigações apontaram que, além de comandar o tráfico de drogas e outras atividades ilícitas em comunidades de Duque de Caxias, o criminoso negociou a nomeação de nove parentes para cargos comissionados na Câmara de Vereadores do município da Baixada Fluminense.Todos fantasmas. Apesar de constarem na folha de pagamento, os funcionários nunca chegaram a trabalhar na casa legislativa.

Nesta quarta-feira, após agentes da Polícia Federal vasculharem o setor de Recursos Humanos da Câmara durante cerca de uma hora e meia, para cumprir um mandado de busca e apreensão, a presidência da Casa anunciou a exoneração de três servidoras que tinham parentesco com Beira-Mar: Edite Alcântara de Moraes, Thuany Moraes da Costa e Débora Cristina da Costa Teixeira.

Filha do criminoso, Thuany foi nomeada no dia 1º de janeiro para exercer o cargo de assistente de presidente de comissão. Apontada como um braço-direito de Beira-Mar, ela foi presa nesta quarta-feira de manhã, em Porto Velho, Rondônia. Débora Cristina, que é irmã do traficante, foi contemplada com o cargo de assessora de vereador, no dia 1º de março. Nesta quarta-feira, ela foi conduzida coercitivamente para prestar depoimento na Superintendência da Polícia Federal, no Rio. Edite, que é sogra do traficante, também foi nomeada para assessora de vereador. Contra ela, foi expedido um mandado de prisão preventiva pela 3ª Vara Federal de Rondônia. Não foram divulgados eventuais nomes de
Dos nove parentes de Beira- Mar que, de acordo com a Polícia Federal, foram nomeados para cargos comissionados, sete tiveram as contas bancárias bloqueadas.

— Conseguimos identificar nas visitas virtuais (Beira-Mar podia falar com parentes e advogados por vídeo) tratativas de nomeação e mudança de cargos na Câmara de Caxias. Não teve envolvimento comprovado ou indício de nenhum político da Câmara no esquema de organização dele. Porém, ele tinha esse viés político de utilizar os cargos como uma forma de uma futura aposentadoria para pessoas da família dele — afirma o delegado federal Leonardo Marino, chefe da Delegacia de Repressão a Entorpecentes da PF de Rondônia.

Embora três parentes de Beira-Mar tenham sido exonerados, seis permanecem como funcionários da Câmara. Questionado sobre o fato, o legislativo informou que foram exonerados os servidores nomeados na atual legislatura. “De acordo com os documentos apresentados pela Polícia Federal, a Câmara Municipal constatou que três servidores encontravam-se em cargos comissionados e prontamente os exonerou. Portanto, a partir desta data, os mesmos não fazem mais parte do quadro de funcionários comissionados do Legislativo”, diz a nota, acrescentando que o presidente da Casa se colocou à disposição da polícia e forneceu toda a documentação exigida.

No ano passado, uma das filhas de Fernandinho Beira-Mar, a dentista Fernanda Izabel da Costa, tentou se eleger vereadora, mas não conseguiu. Ela chegou a ter 3.098 votos, o que lhe garantiu o 33º lugar no pleito. Na Câmara de Caxias, há 29 vereadores.

Fonte: Extra

(Visited 225 times, 1 visits today)
  • Facebook
  • Twitter
  • Google+